terça-feira, 16 de setembro de 2008

Inconstância - Florbela Espanca

Procurei o amor que me mentiu.
Pedi à Vida mais do que ela dava.
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu!

Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a boca me queimava!
E era o sol que os longes deslumbrava
Igual a tanto sol que me fugiu!

Passei a vida a amar e a esquecer…
Um sol a apagar-se e outro a acender
Nas brumas dos atalhos por onde ando…

E este amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há de partir também… nem eu sei quando…

4 comentários:

laís ;] disse...

noossa maaaano!
q rica!
teu blog tah mto gringo iUAHIUhauhH

ficou lindo! seriao ;*

Bianca Ponte disse...

ricaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
par de mexer no blog e vai estudar!
asyaysuygagsyas

Flávia Botter disse...

noossa crauu!!!!
adimiro vc por gostar de poema!!!
num gosto mto naum, acho q eh pq eu num entendo!!! kkll
shuiahSIUHAhoisuahsiuahshuI
fico showzasso seu blog hein?!!?
suihaHOSHAuhsuhs

;*

laís ;] disse...

showzasso

AIUHAIUHAHAHIHAUHAHAHUHAHA