segunda-feira, 18 de junho de 2018


se eu não fosse poeta
te diria
o que é a tua presença
o que é a tua ausência
o que é minha vida
cheia de presenças
e de ausências

se eu não fosse poeta
você saberia
quando teu olhar me aperta
tudo que silencio
por não saber ser simples
como uma gata no cio

se eu não fosse poeta
não teria
essa estranha sensibilidade
que me impele
de ver tudo claro
que me faz amar o raro
de toda impossibilidade

se eu não fosse poeta
poderia
me desfazer
de tanta lucidez
e ficar louca
ao menos uma vez

se eu não fosse poeta
tudo seria
apenas um desejo
morto tão jovem
no primeiro beijo
ainda criança
ainda tão pequeno
ainda sem medo

se eu não fosse poeta
você entraria em mim
para ficar solto
em algum lugar
da lembrança
em vez disso
nada digo
e você fica preso
dentro do meu verso

Alice Ruiz

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Ecoa

Calam o meu grito
Mas nas linhas do tempo
Minha palavra ecooooa
A vibração do couro
Libertou o corpo do açoite
Minha alma agora vooooa
Minha dor deixou de ser tristeza
Não coube em mim
Transbordou em foooorça

domingo, 3 de junho de 2018

Eram as deusas astronautas?

Eram as deusas astronautas?
Meus passos em direção aos astros
Do passado ao futuro
Foi um caminho longo... E duro
Mas se da terra viemos, à terra voltaremos
O rumo do ninho não se perde
Nua deixei e nua voltarei ao ventre
Do espaço até as pirâmides
Um rastro...
Era eu o cometa Harley
Viajando há anos-luz
O início é o fim do caminho
Eu cheguei a tocar as estrelas
Com os pés fincandos ao chão
Eram as deusas astronautas?
Ou era mãe-África a semente da vida
E nós o mistério do tempo?

quinta-feira, 19 de abril de 2018

A nossa faca
Foi amolada
Na mesma rua
A diferença 
É que fiz da minha
Arma de luta
Até hoje a sua
Machuca
Machuca
Machuca
O silêncio
Te vê dormir chorando
E acorda sem pedir desculpa
Guarda teu grito contigo
E não te engane nunca

quinta-feira, 12 de abril de 2018

nada havia antes de mim
e não porque me considero
significativa
justamente porque nada
significo
nada havia antes
nada haverá depois
sou tão meio
sou tão parte
eu
os sapiens
os selvagens segundo os sapiens
os átomos
e todo mistério
somos
sem início, fim ou forma
um imenso abstrato

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Se te imagina
Sozinho
No meio da selva
Se é capaz
De pensar
Em ser
Num espaço
Inóspito
Se te depara
Com a onça
O que te vem
A cabeça?
"Não olhe nos olhos dela,
Não encare
A fera"
Que besteira...
O bicho percebe
A decência
De quem não desvia
Por medo
Ele espera
Um olhar de respeito
Pra dividir seu espaço
Com o outro