segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

2012... and I'm feeling good!

   Acho 2012 um número forte, todo mundo deve achar, olha pra esse número, fica intrigado só porque alguém falou que os Maias falaram que o mundo iria acabar em 2012. Pode ser que acabe, falo pra todo mundo que eu iria ficar feliz, por conta da humanidade que vai de mal à pior, mas acho que, na verdade, eu iria ficar desesperada, sonhei com isso essa noite e acordei de madrugada desesperada, gente, meu celular não pegava no fim do mundo!!! HAHAHA. Não encontrava quem eu amo, quem me faz feliz. Quando acabar de verdade, espero que ao menos os celulares peguem! Mas pra mim 2012 representa uma força pessoal, sei lá porque, não sou o tipo de pessoa mística, não sei em que lua meu signo está, mas sinto algo.
   Se eu fosse julgar pelos acontecimentos do meu 1° dia desse ano eu já poderia sentar e esperar o fim anunciado, porque a coisa foi feia pro meu lado, meu coração apertado com tanta coisa triste. Mas já aconteceu tanta coisa triste na minha vida, na sua, na da vizinha, na dos Maias! Pode parecer que não,  só que sou da seguinte opinião, que se somos levados, ou até mesmo arrastados pra frente, esse movimento é feito por sentimentos bons. Sentimentos bons do passado e ânsia por sentimentos bons no futuro.
   O que tem me feito feliz? Aquela confusão ter passado, sabe aquela? A crise existencial? Ter mil ideias na cabeça não me aflige mais, me alegra de taaaaaaaal maneira. Tenho ideias, tenho saúde, tenho tempo pra efetuá-las! Ter 2 empregos chatos aos 30, ter um marido e um jantar surpresa, ir pro shopping com os filhos, só olhar as vitrines e não comprar nada, fazer algo artesanal e dar de presente, fazer projetos pra mim e pros outros, tudo isso ao mesmo tempo, ou depois, não ter tempo eu acho que não é perda de tempo! Ai, só eu tenho essa vontade de aproveitar?
Queria que todos tivessem e aproveitassem comigo!
   Tantas coisas me abalaram, talvez por isso, hoje em dia não seja tão fácil assim, mas estou aprendendo a não desconfiar de felicidade gratuita e pura.
   Porque ninguém mais acredita? Nada ajuda, mas não acreditar também não ajuda em nada. Gente, vou para um emprego novo, tem coisa mais chata e preguiçosa do que ambiente novo? HAHAHA. Mas tem coisa mais legal do que algo novo? Vou cumprir duas DP's não há nada de novo nisso, mas talvez eu volte de Marte, que era onde eu tava com a cabeça nessas aulas, pro apocalipse da Terra, é uma evolução. 4° ano, novas matérias, estágio. É tanta coisa! Quero fazer tudo ao mesmo tempo, e mais um pouco de tudo o que existe, mesmo sem ter certeza de que vai dar certo, porque em alguns desses momentos a felicidade vai estar ali. É ali que ela está, ali, e em quando eu tiver 80 anos e não tiver mais mãe, se eu souber aproveitar.
   O tempo passou, chegamos até aqui, no final do mundo, e vamos desperdiçá-lo pensando em porque nada faz sentido? Não vamos desconfiar, vamos viver, mais felizes talvez a gente possa mudar algo no mundo, mesmo que não haja motivos pra felicidade, pelo menos não deixe de acreditar que ela existe. Me ferrei muito agarrando todas as possibilidades de ser feliz, de ter prazer, de me arriscar, de contradizer, mas em alguns momentos fui feliz e vou me lembrar pra sempre. E o melhor aprendi a acreditar.
   Nada melhor que aproveitar tudo da vida, esse mundo em fase terminal é de todos que são capazes de enxergá-lo e fazê-lo valer a pena. Pode parecer hipocrisia ou egoísmo estar tão feliz, mas não acho que a luta esteja só na guerra, ainda dá pra mudar um alguém com um sorriso. Quero reparar no que há de bom a minha volta, antes que seja tarde.



"Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara."
(José Saramago)

2 comentários:

Bruna Rezende disse...

Se for mesmo o fim do mundo, que o nosso seja doceee! Amo-te! :)

Taciana Careti disse...

só dei uma choradinha no final.
e essa felicidade é nossa.
e ah, tira essa merda de ter que escrever a senha pra poder comentar? uaishdfioahdfoiuh